Tratamento do Ar

Cuidados Fundamentais a ter em consideração nos edifícios de museus e culturais, entre outros:

No que diz respeito aos Sistemas de AVAC, a recomendação geral da REHVA (Federation of European Heating Ventilation and Air Conditioning Associations) é de fornecer o máximo de ar exterior que seja razoavelmente possível. O parâmetro-chave é a quantidade de ar novo fornecido por pessoa e, nesse sentido, é essencial que a insuflação de ar continue a ser feita através das Unidades de Tratamento de Ar Novo, evitando a recirculação do Ar.

O Sistema de Climatização do Edifício é composto por duas componentes: o sistema de ventilação e renovação de Ar Novo feitos pelas UTANs e Ventiladores de Extração; e o Sistema de Refrigeração / Aquecimento do ar que é circulado, através dos Chillers e Ventiloconvetores, que reforça o ar já insuflado pelas UTANs.

Assim, os maiores cuidados a ter são no Sistema de Ventilação e Renovação do Ar Novo e não tanto no de Climatização propriamente dito.

Não foi comprovado pela OMS até à presente data existir risco de transmissão ou propagação do vírus através dos Sistemas de Climatização e Renovação de Ar do Edifício, pois não existem provas de transmissão do vírus de forma aérea. Ainda assim, a correta operação e manutenção dos sistemas de ventilação não deixam de ser importantes no controlo de proliferação de infeções.

Recordamos que a propagação do vírus, pelo que se sabe até agora, é feita essencialmente pela libertação de gotículas quando as pessoas falam, espirram ou tossem, atingindo as outras pessoas ou contaminando superfícies que são depois tocadas. Assim, as duas regras de Distanciamento Social e de Etiqueta Respiratória, associada à utilização de máscara ou viseira, serão as formas mais seguras de reduzir os riscos de propagação.

Nos edifícios não deve existir qualquer recirculação de ar. Todo o ar retirado do interior do edifício deve ser retirado para o exterior e o ar que entra ser totalmente filtrado, através do Filtros das UTANS, nomeadamente dos Filtros F.

Para além disso, deve-se aumentar ainda a extração das Instalações Sanitárias, de acordo com as recomendações da REHVA.

O Plano de Manutenção Preventiva para os Sistemas de AVAC devem, por isso, considerar as atividades de Manutenção adequadas à utilização do edifício que, na realidade, neste momento são menores, reforça-se, por isso, a Taxa de Renovação de Ar no edifício, por ocupante.

Neste sentido, o Sistema de AVAC não só não será um meio propagador do vírus, como está a funcionar e será mantido de forma a reduzir os riscos decorrentes da ocupação do edifício quando esta vier a aumentar.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s